Cobrança adicional será de de R$ 2,00 a cada 100 kWh consumidos

As contas de luz terão bandeira amarela no mês de julho. A decisão foi anunciada nesta sexta-feira, 30, pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Com a bandeira amarela, a tarifa de energia volta a ter cobrança adicional no mês que vem, de R$ 2,00 a cada 100 kWh consumidos.

O retorno para a bandeira amarela era esperada pelo mercado em algum momento deste ano, mas a adoção para julho não estava no cenário dos economistas.

Dessa maneira, as expectativas para o Índice de Preços para o Consumidor Amplo (IPCA) mudam no curto prazo, já que a bandeira amarela adiciona 4% na fatura de energia elétrica no orçamento das famílias. Mas, como a alteração em algum momento do ano já estava na planilha dos economistas, as perspectivas para inflação deste ano seguem iguais.

O impacto da mudança da bandeira verde para amarela no IPCA é de 0,14 a 0,15 ponto porcentual, segundo os economistas. No caso da MCM Consultores, a projeção para julho foi alterada para 0,40%, de 0,25% antes do anúncio da Aneel

O sistema de bandeiras é atualizado mensalmente pelo órgão regulador, que avalia a situação dos reservatórios em todo o País para tomar uma decisão, além do volume de chuvas.

 De acordo com a Aneel, houve aumento dos gastos de geração de energia previstos para julho. O custo da usina termelétrica mais cara a ser acionada no mês que vem será de R$ 237,71 por megawatt-hora (MWh). 

A bandeira amarela é acionada quando a energia fica acima de R$ 211,28 por MWh e abaixo do teto do preço da energia no mercado à vista (PLD), de R$ 422,56 por MWh.

 

 No mês de junho, vigorou a bandeira verde, que não traz custo adicional para o consumidor. Nos meses maio e abril, vigorou a bandeira vermelha em seu primeiro patamar, o que adicionava uma taxa de R$ 3,00 a cada 100 quilowatt-hora consumidos.

 Em março deste ano, foi acionada a bandeira amarela. Em janeiro e fevereiro deste ano, vigorou a bandeira verde.

O sistema de bandeiras conta ainda com o segundo patamar de bandeira vermelha, que adiciona R$ 3,50 a cada 100 kWh consumidos. Ela é acionada quando o custo das termelétricas acionadas supera o valor de R$ 610,00 por MWh.

 

 

Fonte:correio24horas

Publicadopor: Celso Serafim