<

Estudo afirma que o licopeno presente na fruta diminui chances em até 59%

Um novo estudo desenvolvido pela Universidade do Leste da Finlândia descobriu que o consumo de tomate pode ajudar a prevenir AVC em homens com idade entre 46 e 65 anos. Os resultados aparecem na edição de nove de outubro de 2012 da revista Neurology.

Os pesquisadores acompanharam a vida de mais de mil homens finlandeses por cerca de 12 anos. Analisando os dados, os cientistas descobriram que os participantes com altas taxas de licopeno no sangue tinham 55% menos probabilidade de ter um acidente vascular cerebral, em comparação com os homens que tinham os níveis mais baixos desse antioxidante em seu sangue.

Um risco ainda menor foi identificado para os derrames causados por coágulos de sangue no cérebro, chamados de AVC isquêmico – tipo mais comum de acidente vascular cerebral. Homens que tinham os maiores níveis de licopeno foram 59% menos propensos a ter o problema do que aqueles com os níveis mais baixos.

De acordo com os autores da pesquisa, os benefícios do licopeno provavelmente só são aproveitados por meio do tomate, não sendo recomendado o suplemento individual do nutriente. O novo estudo incluiu apenas os homens, mas os cientistas afirmam que os mesmos benefícios certamente se estendem para as mulheres.

Siga essas dicas e proteja-se de derrames cerebrais

O AVC é responsável pela morte de cinco milhões de pessoas no mundo a cada ano, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS). “O acidente vascular cerebral é uma alteração do fluxo de sangue no cérebro, que ocorre por falta ou extravasamento de sangue em alguma região do corpo”, explica o neurologista André Lima, do Hospital Barra D’or. O problema pode ser facilmente prevenido, já que a adoção de hábitos saudáveis, como alimentação balanceada, ajuda na prevenção e a maioria dos fatores de risco pode ser evitada. Conheça esses fatores e saiba como combatê-los:

Pressão alta

O neurologista André Lima explica que as paredes internas das artérias sofrem traumas por causa do fluxo do sangue mais forte. “Esses traumas formam pequenos ferimentos, que podem obstruir a passagem do sangue (AVC isquêmico) ou romper a parede da artéria (AVC hemorrágico)”, explica. É possível controlar a hipertensão com medicação e hábitos saudáveis, como reduzir o consumo de sal da alimentação.

Tabagismo

Substâncias do cigarro fazem com que a coagulação do sangue aumente. Com isso, o sangue fica mais grosso e fluxo nas artérias, por sua vez, fica prejudicado, aumentando as chances de um derrame.

Diabetes

O excesso de glicose no sangue – característica do diabetes – aumenta a coagulação do sangue e o deixa mais viscoso. “Isso diminui o fluxo de sangue das artérias e pode levar a um AVC”, conta André Lima. Mas vale lembrar que esse problema pode ser controlado com tratamento médico regular e hábitos de vida saudáveis.

Doenças do coração

De acordo com o neurologista André Lima, arritmias cardíacas podem formar pequenos coágulos dentro das artérias e veias do coração. “Esses coágulos podem ser enviados às artérias cerebrais, provocando um AVC isquêmico”, explica.

Colesterol alto

“Placas de colesterol e conteúdos gordurosos se depositam lentamente na artéria, fazendo com que ela se feche aos poucos e impeça a passagem de fluxo sanguíneo”, explica o neurologista Maurício Hoshino, do Hospital das Clínicas, de São Paulo. Esse processo provocaarteriosclerose – endurecimento das artérias – e prejudica a oxigenação do cérebro, aumentando o risco de AVC.

Má alimentação e sedentarismo

Uma vez que diabetes, colesterol, obesidade e hipertensão aumentam as chances de AVC, todos os cuidados para controlar essas doenças servem de prevenção – e a alimentação ganha destaque, bem como a prática de exercícios. Fazer uma dieta balanceada, moderar o consumo desódio, evitar frituras, controlar o consumo de açúcar e praticar exercícios físicos são alguns dos hábitos que devem fazer parte da rotina.

Comments

comments